Bancos apresentam mais uma proposta absurda: reajuste com perdas no VA e VR

22 Aug 2022 23 VISUALIZAÇÕES

Na 13ª rodada de negociação da Campanha dos Bancários, nesta segunda 22, os bancos apresentaram mais uma proposta rebaixada: reajuste de apenas 7,19% nos vales alimentação e refeição, o que não chega nem a repôr a inflação (é apenas 81% do INPC, cuja a estimativa está em 8,88%). Com esse reajuste, o VR, hoje em R$ 41,92 por dia, teria um aumento de apenas R$ 3 por dia; e o VA teria um acréscimo de apenas R$ 52,25 por mês, passando dos atuais R$ 726,71 para R$ 778,96.

Esses R$ 3 a mais por dia no VR não daria nem para um cafezinho, que hoje custa em média R$ 4,23. E a expectativa é que na data base da categoria (1º de setembro) a inflação dos alimentos acumule uma alta de 15,37% (a inflação dos alimentos é quase duas vezes a inflação geral). O reajuste proposto representa uma perda de 1,5% em relação à inflação geral e de 7,1% em relação à inflação de alimentos no domicílio.

“Foi um dia inteiro para a Fenaban apresentar mais uma proposta rebaixada. Na primeira parte da mesa, eles propuseram reajuste no VA e VR que cobria apenas 75% da inflação. Aí fizemos uma pausa e na volta eles propuseram reajuste de 81% da inflação, mas ainda insuficiente. Consideramos uma desfaçatez com os bancários, que constroem diariamente os lucros bilionários dos bancos. O Comando rejeitou a proposta na mesa”, informa Ivone Silva, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, que representa a categoria nas negociações com a Fenaban.

Na mesa desta segunda também foi discutida nova cláusula de teletrabalho, mais informações sobre isso serão publicadas em breve.
Mobilização nas redes

A negociação será retomada nesta terça-feira 23, a partir das 14h. Mais cedo, a partir das 11h, haverá tuitaço cobrando proposta decente da Fenaban, com aumento real e reajustes maiores na PLR e nos vales. Mais informações sobre o tuitaço em breve.
Saiba como foram as rodadas anteriores:

Primeira rodada: Bancários e Fenaban definem temas e calendário das mesas de negociação
Segunda rodada: Em mesa com Fenaban, trabalhadores reivindicam fim das demissões e da terceirização
Terceira rodada: Negociação com Fenaban conquista avanços no combate ao assédio sexual
Quarta rodada: Negociação com Fenaban aponta para avanços no teletrabalho
Quinta rodada: Em mesa sobre segurança, Fenaban mostra descaso com proteção de bancários e clientes
Sexta rodada: Mesmo diante de dados, bancos negam adoecimento dos bancários em função do trabalho
Sétima rodada: Com lucro nas alturas, bancos podem atender reivindicações por aumento real e reajuste maior nos tickets
Oitava rodada: Bancários reivindicam reajuste na PLR, mas banqueiros não apresentam resposta
Nona rodada: Fenaban apresenta proposta insuficiente para cláusula de teletrabalho
Décima rodada: Bancos não apresentam proposta sobre metas ou assédio
11ª rodada: Fenaban enrola mais uma vez e bancários vão às ruas nesta sexta cobrar proposta já!
12ª rodada: Fenaban apresenta proposta indecente: reajuste de apenas 65% da inflação

Fonte: SEEB SP