Bradesco

COE Bradesco, debate conquistas e reivindicações com o banco

12 Apr 2017 22 VISUALIZAÇÕES

Em reunião realizada nesta terça-feira (11), na sede do Bradesco, na Cidade de Deus, em São Paulo, a Contraf-CUT, assessorada pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco, debateu a pauta de reivindicações trazendo conquistas para os trabalhadores.

Segundo a vice-presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira Leite, a realização desta reunião foi de extrema importância para avançar nos pontos de reivindicações dos funcionários do Bradesco. “Obtivemos importantes avanços na questão dos vales alimentação e refeição, onde cada bancário e bancária terá sua própria governabilidade. Outra importante conquista foi sobre a licença-maternidade garantida para casais do mesmo sexo, o que representa estabilidade tanto para a família quanto para a sociedade. Apesar destes importantes avanços, temos que intensificar a luta na defesa dos empregos, pois só a luta nos garante”, disse.

Um dos destaques da mesa foi a conversão dos valores dos Vales Alimentação (VA) e Refeição (VR). Pela primeira vez o banco vai estar disponibilizando, a partir de setembro deste ano, a transferência de valores entre o VA e VR. “O bancário pode optar por transferir qualquer valor do VA para o VR ou vice e versa, a qualquer momento, inclusive a 13ª cesta alimentação. Desde que não zere um dos cartões para não o deixar inativo”, explicou o coordenador da Comissão de Organização dos Empregados do Bradesco, Gheorge Vitti.

Este programa de conversão de valores será implementado a partir da primeira quinzena de setembro. O bancário poderá fazer a transição de valores através do SAP do portal do banco, até o dia 10 de todo mês.

Licença-maternidade adoção para casais do mesmo sexo

Outro ponto de avanço obtido na reunião foi sobre a licença maternidade adoção para casais homoafetivos.

A COE do Bradesco conseguiu que o banco garantisse a licença-maternidade adoção e a estabilidade para parceiros do mesmo sexo. Ou seja, será concedido para um(a) parceiro(a) do casal homoafetivo a licença maternidade de 120 dias ou 180 dias, conforme opção do trabalhador ou da trabalhadora.

Os representantes dos trabalhadores também reivindicaram a licença paternidade para o casal e o banco disse que vai avaliar o assunto.

Parcelamento do adiantamento do salário de férias

A Comissão de Organização dos Empregados insistiu sobre o parcelamento do adiantamento do salário de férias. Sem avanço, esta pauta continua em negociação. Será discutida na próxima reunião.

Assembleias no mês de maio

Na ocasião, foi dado informe ao banco que no mês de maio serão realizadas assembleias para aprovação junto aos trabalhadores para os seguintes acordos:

– ponto eletrônico;

– CIPA treinet;

– Bradesco investimento.

“Vale ressaltar que é importante que exista uma mesa permanente com o banco para que a gente aproxime a realidade vivida pelo bancário e a realidade vivida pela direção do banco”, destacou o coordenador da Coe do Bradesco.

Demissões continuam e banco não age com transparência

Na defesa do emprego, a COE do Bradesco cobrou do banco explicações sobre o número de demissões. Em 2015, o banco demitiu 2.613 funcionários, em 2016, houve 3.121 cortes de postos de trabalho e no primeiro trimestre de 2017, cerca de 1.200 bancários e bancárias foram demitidos.

“As demissões continuam a todo vapor e o banco nega. A conta não fecha e vamos continuar na defesa do emprego dos trabalhadores”, pontua Gheorge Vitti.