GERAL

CUT inicia o debate sobre sua estratégia de atuação

23 Oct 2023 91 VISUALIZAÇÕES

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) iniciou no dia 20 de outubro, o 14º Congresso Nacional, o debate sobre a estratégia de sua atuação para o próximo período, em âmbito nacional e internacional. As ações da Central estarão ancoradas nos eixos prioritários de fortalecimento da organização sindical, de defesa da democracia e de desenvolvimento sustentável e as discussões sobre estes eixos prosseguem até o final do Congresso, culminando com a aprovação do plano de lutas e a eleição da direção da entidade, que será responsável por colocar o plano em prática.

Estratégia internacional

Para o secretário adjunto de Relações Internacionais da CUT, Quintino Severo, a Central deve contribuir com o fortalecimento das organizações do movimento sindical internacional, como a Confederação Sindical Internacional (CSI), a Confederação dos Trabalhadores e Trabalhadoras das Américas (CSA), Federações Globais, a Internacional Progressista e também dos fóruns e redes que reúnem os mais diversos movimentos sociais da classe trabalhadora e populares.

“No plano internacional, a estratégia da CUT deve estar alicerçada no tripé de fortalecimento do movimento e da organização sindical, para enfrentarmos as mudanças do mundo do trabalho, de defesa da democracia, pois só existirá movimento sindical se a democracia prevalecer; e de defesa do desenvolvimento sustentável e do meio ambiente”, disse Quintino.

Estratégia nacional

Para a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e vice-presidenta da CUT, Juvandia Moreira, vivemos um período muito difícil que nos traz um aprendizado que pode influenciar nossa ação sindical daqui para frente.

“O movimento sindical tem que saber como a extrema direita se comunica com a população, acompanhar a narrativa deles, saber das mentiras, as fakes news, como ela usa as ferramentas de comunicação para manipular a opinião pública para que a gente possa combater tudo isso”, disse Juvandia. “Não é à toa que o congresso tem como lema ‘Luta, Direitos e Democracia que Transformam Vidas’”.

“É importante reativarmos os comitês de luta e as brigadas digitais para organizarmos a luta da classe trabalhadora e ampliarmos nossa atuação junto às nossas bases”, completou a professora e secretária de Mobilização e Relação com os Movimentos Sociais da CUT Brasil, Janeslei Albuquerque.

O texto base com as estratégias da CUT é público e está disponível no site da entidade. Para ler a íntegra, clique aqui.

 

Fonte: CONTRAF