Banco do Brasil
CEF

Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas evidencia papel social do BB e Caixa

05 Jul 2018 22 VISUALIZAÇÕES

 Neste dia 5, simultaneamente às atividades de lançamento da Campanha Nacional dos Bancários 2018 em Bragança Paulista, aconteceram atos do Dia Nacional de Luta em Defesa das Empresas Públicas e da Soberania Nacional. O objetivo é lutar contra ações do governo que quer privatizar o patrimônio público.
Durante os atos diante das agências da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, dirigentes sindicais de todo estado chamaram a atenção dos empregados da CEF e BB e da população para a importância do engajamento de todos na luta pela defesa dos bancos públicos.

“É importantíssima a defesa dos bancos públicos, por conta de serem responsáveis pelo fomento às políticas sociais. Mais de 80% do crédito social, seja para a agricultura, saneamento ou habitação passam ou pelo Banco do Brasil ou pela Caixa Econômica Federal. Estamos assistindo e vendo de braços cruzados o avanço da ameaça de privatização destes bancos. Só que isto significa também ameaça sobre estas políticas sociais. Por isso temos defender a continuidade do caráter público do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal”, explicou Rodrigo Franco Leite, funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato dos Bancários de Bragança Paulista e Região.

De acordo com Júlio César Nunes de Paiva, empregado da Caixa Federal e também diretor do Sindicato dos Bancários de Bragança, a CEF é responsável por políticas de extrema importância especialmente para a população de baixa renda. “A Caixa, que é o único banco inteiramente público da América do Sul, administra programas de habitação, saneamento e infra-estrutura urbanos, e os voltados aos beneficiários finais de programas do governo, como o bolsa-família, PIS, seguro desemprego e fundo de garantia. Além disso, ainda é responsável pelas loterias, que repassam uma quantia volumosa de recursos para programas sociais vinculados ao governo. A redução do papel dos bancos públicos nas políticas sociais do governo implica diretamente na piora do bem estar e da qualidade de vida da população de baixa renda”, finaliza Júlio.

LIMINAR
Conforme a coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas e representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa, Rita Serrano, a intenção é realizar atividades em todo o país para lembrar a importância das estatais. “A liminar obtida pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) e Fenae (Federação Nacional dos Empregados da Caixa) no STF impedindo privatizações sem a autorização do Legislativo, a suspensão do leilão da Lotex e das distribuidoras da Petrobras mostram que é preciso lutar e que é possível vencer neste momento de desmonte do patrimônio público” afirmou Rita.