Banco do Brasil
CEF

Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas evidencia papel social do BB e Caixa

05 Jul 2018 6 VISUALIZAÇÕES

 Neste dia 5, simultaneamente às atividades de lançamento da Campanha Nacional dos Bancários 2018 em Bragança Paulista, aconteceram atos do Dia Nacional de Luta em Defesa das Empresas Públicas e da Soberania Nacional. O objetivo é lutar contra ações do governo que quer privatizar o patrimônio público.
Durante os atos diante das agências da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, dirigentes sindicais de todo estado chamaram a atenção dos empregados da CEF e BB e da população para a importância do engajamento de todos na luta pela defesa dos bancos públicos.

“É importantíssima a defesa dos bancos públicos, por conta de serem responsáveis pelo fomento às políticas sociais. Mais de 80% do crédito social, seja para a agricultura, saneamento ou habitação passam ou pelo Banco do Brasil ou pela Caixa Econômica Federal. Estamos assistindo e vendo de braços cruzados o avanço da ameaça de privatização destes bancos. Só que isto significa também ameaça sobre estas políticas sociais. Por isso temos defender a continuidade do caráter público do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal”, explicou Rodrigo Franco Leite, funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato dos Bancários de Bragança Paulista e Região.

De acordo com Júlio César Nunes de Paiva, empregado da Caixa Federal e também diretor do Sindicato dos Bancários de Bragança, a CEF é responsável por políticas de extrema importância especialmente para a população de baixa renda. “A Caixa, que é o único banco inteiramente público da América do Sul, administra programas de habitação, saneamento e infra-estrutura urbanos, e os voltados aos beneficiários finais de programas do governo, como o bolsa-família, PIS, seguro desemprego e fundo de garantia. Além disso, ainda é responsável pelas loterias, que repassam uma quantia volumosa de recursos para programas sociais vinculados ao governo. A redução do papel dos bancos públicos nas políticas sociais do governo implica diretamente na piora do bem estar e da qualidade de vida da população de baixa renda”, finaliza Júlio.

LIMINAR
Conforme a coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas e representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa, Rita Serrano, a intenção é realizar atividades em todo o país para lembrar a importância das estatais. “A liminar obtida pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) e Fenae (Federação Nacional dos Empregados da Caixa) no STF impedindo privatizações sem a autorização do Legislativo, a suspensão do leilão da Lotex e das distribuidoras da Petrobras mostram que é preciso lutar e que é possível vencer neste momento de desmonte do patrimônio público” afirmou Rita.