Em protesto, sociedade bragantina diz não às reformas

28 Apr 2017 14 VISUALIZAÇÕES


Foto: Andréa Ono

Centenas de pessoas participaram hoje, 28 de abril, da GREVE GERAL contra as reformas em Bragança Paulista. A concentração para o grande ato de protesto reuniu vários movimentos organizados na Praça Raul Leme, às 10 da manhã. A manifestação, que foi ganhando corpo na trajetória pela Avenida Pires Pimentel, terminou no Lago do Taboão.

O ato de protesto foi o ponto culminante de diversas atividades, como a manifestação diante do prédio da Empresa Elétrica Bragantina e retardamento da abertura das agências bancárias do Centro, em uma hora. Estudantes do Instituto Federal de Educação fizeram passeata desde o prédio da entidade, no Bairro da Penha, até a Praça.

Entre outras entidades, participaram deste primeiro ato contra as reformas:

Associação Cooperativa Habitacional de Bragança Paulista – Acohab
Associação dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo – Apeoesp
Colégio Santo Agostinho
Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio e Serviços
Confederação Nacional dos Transportes Terrestres
Cursinho Popular Comunidade Sorriso
Frente da Esquerda Socialista
Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de São Paulo
Fundação de Ensino Superior de Bragança Paulista
Instituto Federal de Educação – IFF
Instituto Educacional Coração de Jesus
Movimento Rosa Não Cala
Sindicato dos Bancários
Sindicato dos Metalúrgicos
Sinergia-Eletricitários
Sindicato dos Papeleiros
Sindicato dos Comerciários
Sindicato dos Servidores Municipais
Sindicato dos Têxteis
Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho da 15ª Região- Sindiquinze
Sindicato da Saúde de Campinas e Região
UBES-União Bragantina dos Estudantes Secundaristas
Universidade São Francisco