Nota da Contraf-CUT

09 Jan 2023 50 VISUALIZAÇÕES

Os atos terroristas ocorridos neste domingo (8 de janeiro) são intoleráveis! Mais do que tentar derrubar o governo legitimamente eleito, eles atentam contra todas as instituições que representam o Estado Democrático de Direito em nosso país. Ao invadir e depredar o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e a Suprema Corte, os terroristas tentaram colocar em prática o crime que já vinham cometendo ao tentar forçar a intervenção das Forças Armadas para que estas impedissem o cumprimento do mandato da Presidência da República e o funcionamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional, mas também de todo país, ao bloquear estradas e impedir o tráfego e o abastecimento de combustíveis, alimentos e produtos de todos os gêneros.

Tais atos extrapolam os direitos de manifestação e da livre expressão. São ações terroristas, que visam o Golpe de Estado. Os órgãos de Justiça devem identificar os participantes e apurar a responsabilidade daqueles que os praticaram, mas também de quem os financiou e incentivou, assim como as possíveis omissões dos órgãos de repressão e suas administrações. Todos devem ser exemplarmente punidos no rigor da Lei, não apenas como vândalos, ou radicais de extrema direita, mas como terroristas, como golpistas.

Nós, da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), repudiamos os atos golpistas realizados no último domingo. Além disso, seguindo os chamados das Centrais Sindicais e das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo convocamos as entidades sindicais e as trabalhadoras e trabalhadores do ramo financeiro a ocupar as ruas para defender a democracia e seus direitos, mas também para exigir a punição dos culpados pelos atos terroristas que estão ocorrendo no país.

Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT)