Sindicato ocupa Tribuna Livre e pede apoio do Legislativo na defesa dos bancos públicos

22 Nov 2017 17 VISUALIZAÇÕES

Na última terça-feira, 21, o Sindicato dos Bancários de Bragança, ocupou a Tribuna Livre da Câmara Municipal de Bragança Paulista, para pedir apoio do Legislativo na luta pela defesa dos bancos públicos. A participação na sessão ordinária da Câmara Municipal de Bragança faz parte de uma série de atividades que estão promovidas em todo país por entidades representativas dos bancários, com o objetivo de defender o patrimônio público, a qualidade do atendimento para a população, os programas sociais voltados para população e o desenvolvimento.

Rodrigo Franco Leite, funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato, informou aos vereadores números que revelam a importância da Caixa Federal e do Banco do Brasil no município, especialmente nas áreas de crédito rural e habitacional.

Conheça os números do Banco do Brasil e Caixa Federal em Bragança Paulista aqui

“Ao contrário do que todos pensam, os bancos públicos vem apresentado lucros astronômicos, mesmo nos dois últimos anos, que têm sido muito difíceis. Os dois bancos são responsáveis por quase 80% de todo o crédito disponível no município. Será desastroso se a privatização se concretizar. Já está sendo, após o fechamento da agência do Banco do Brasil da Dr. Freitas, que deixou sem atendimento uma boa parte da população que vive longe do Centro. Com isso, o atendimento nas agências do Centro piorou muito. Mas daqui a alguns dias, seremos atendidos apenas por meio eletrônico, através de uma agência digital que funcionará em Atibaia. Isso faz parte do plano do governo de precarizar o atendimento do banco, afastando os clientes, que acabam indo para os bancos privados. Assim a Caixa e o Banco do Brasil ficarão desvalorizados e terão que ser vendidos por preços mais baixos” , informou.

O vereador Marco Antônio Marcolino, responsável pela indicação do Sindicato para utilizar a Tribuna Livre, chamou a atenção de seus pares para a importância de o legislativo bragantino engrossar a luta em defesa dos bancos públicos.

“Com a concretização da agência digital, como ficará o atendimento à população de baixa renda? Como ficarão os que precisarem de cheque? Trata-se de reivindicação justa. Os sindicalistas estão todos empregados, tem estabilidade. Não se trata de defender o emprego deles. Trata-se de defender o direito de todos”, afirmou o vereador, propondo, por fim que sejam movidas três moções: uma de repúdio contra o fechamento de agências do banco de Brasil e Caixa Federal; outra solicitando fiscalização por parte do Executivo das condições de atendimento e tempo de espera nas agências e, por fim, uma última solicitando reunião entre o Poder Executivo, vereadores, Sindicato e representantes dos bancos, para debater a questão.

Recentemente, o Sindicato dos Bancários de Bragança promoveu atos em Atibaia e Bragança para conscientização da população sobre os prejuízos que a população em geral sofrerá, caso se concretize a privatização da Caixa Econômica Federal e Bancos do Brasil, como pretende o governo federal.